De Corpo e Alma

Dos inúmeros textos que já escrevi é difícil achar um que não seja sobre amor. Sempre transbordei tanto, mais do que deveria, talvez. É...


Dos inúmeros textos que já escrevi é difícil achar um que não seja sobre amor. Sempre transbordei tanto, mais do que deveria, talvez. É que sempre foi mais fácil viver tudo em palavras do que de qualquer outra forma. Mas hoje, sentada na frente do meu computador velho e olhando para o sol que brilha do lado de fora da minha janela percebo que estou finalmente pronta pra falar do verdadeiro amor da minha vida. 

Seus grandes olhos castanhos, seus cabelos que já foram longos, mas que hoje estão mais curtos do que o usual. Sua capacidade de ser uma eterna metamorfose e todas as suas fases. As músicas que tocaram secretamente no seu rádio e sua capacidade de ser tantas pessoas em uma só. Sua risada fácil e a maneira de levar a vida com a leveza de uma eterna criança. As indecisões que me tiram do sério e todas as maninas esquisitas e palavras difíceis. 

Os defeitos e todos os trejeitos. Todas as profissões que já quis ter e todos os sonhos que deseja realizar. Os tropeços e erros. As curvas tortas da vida e todas as suas cicatrizes. Aprendizados. Os arrependimentos, mas a certeza de que faria tudo exatamente igual. Evoluir. 

Amo cada parte do seu ser. Sua nova filosofia de vida, que agora vê o lado positivo em cada fuc*#ng lugar. A teimosia que a fez decidir que a partir de agora vai ser minimalista, e que vai se livrar de tudo aquilo que está 'de mais' na sua vida. Incluindo, sentimentos ruins e autodestrutivos. Sua mania de misturar mais de um idioma numa frase, de dançar sozinha na frente do espelho e jurar que nunca dançará assim na frente de ninguém. 

Amo todos os pequenos e grandes pedaços que formam a pessoa que sou hoje e a que serei amanhã. Amo o corpo e alma desse ser em que habito temporariamente. Porque finalmente descobri que quando a gente se ama a gente se basta. Porque pra entender o amor e toda a sua complexidade a gente precisa se despir e se encontrar. Olhar para cada detalhe dentro de nós e entender. Se amar. Abraçar-se e aceitar nossa história por inteiro: o começo, os tropeços até encontrar o fim. 

Porque nesse curto período de tempo que temos aqui neste plano, decidi que eu quero é viver um eterno aprendizado e descobrimento. Aprender a sonhar e se descobrir cada vez mais. O que viver além disso, é lucro bebê!

LEIA TAMBÉM!

0 comentários